3.2.09

Crise: Época de Oportunidades

Eu tenho percebido que o início de ano (que já é uma época naturalmente de baixo volume de trabalho) aliado a uma crise internacional tem tirado o sono de muito ilustrador.

Muita gente está se sentindo sem chão, tendo uma impressão muito clara de que não tem norte e nem sul.

Na verdade nunca teve, a diferença é que antes havia demanda de trabalho por conta de uma economia aquecida.

Os ilustradores perderam os seus melhores anos com briguinhas internas, guerrinha de ego, tentando puxar a sardinha para a sua brasa, ao invés de aproveitar um mercado em crescimento para se organizar com seriedade, ter um foco profissional e um foco como coletividade.

Na verdade, quem pensa em coletivo? Somente dono de empresa de ônibus....

Perdemos uma oportunidade única na história deste país, justamente porque a cabeça dos "profissionais" é podre.

E quando a cabeça não pensa, o corpo padece.

A falta de noção de oportunidade (pensa-se muito e apenas em utilizar uma oportunidade para se ganhar muito dinheiro, o quanto mais dinheiro puder se ganhar, mas esquece-se de nas oportunidades semear coisas que frutifiquem com o tempo e sejam com o tempo instituições sólidas) fez com que a quase totalidade dos ilustradores nesse exato momento estejam em crise tanto quanto todo o resto da economia.

Agora, sejamos o que essa crise REALMENTE representa?

Eu, já tive algumas boas oportunidades de reflexão, mesmo antes dessa crise ter "aterrisado" no mundo por uma coincidência qualquer e percebo o quanto essa crise é o resultado de um sistema econômico falido.

E porque falido?

Porque o ser humano simplesmente não existe no sistema, somente o trabalho, a produção e o dinheiro.

O que importa é trabalhar, produzir e ganhar dinheiro. Na verdade, ganhar o máximo de dinheiro com o mínimo de esforço.

Eu, particularmente acredito que o dia de vacas gordas como fruto da distorção de valores e abusos estão com os dias contados.

Quem quiser moleza que tivesse nascido e vivido no século passado.

Vemos por exemplo um sistema aonde editoras ganahm rios de dinheiro pagando o mínimo possível aos seus ilustradores, todos contratados, sem nenhum benefício, cedendo de mãos beijadas todos os seus direitos.

Tudo isso porque existem milhares de ilustradores, semi ilustradores e pseudos ilustradores se acotovelando no mercado para pegar o mesmo trabalho, e segundo um dos princípios básicos de lei de mercado que é o princípio de oferta/procura quanto maior a oferta, menos é o valor do que é ofertado.

O curioso é que milhares de ilustradores acéfalos entraram de cabaça na porcaria sem sequer terem raciocinado, juntado lé com cré para perceber que estavam correndo para cair do alto de um despenhadeiro.

Vemos um sistema aonde as agências resolveram descartar o serviço de ilustrador (culpa dos ilustradores bêbados, viciados e desajuízados que sempre existiram) e procurar vender um produto e serviço que dependesse o menos possível de ilustração, transformando a ilustração numa espécie de lixo, ou coisa ultrapassada, coisa de velho.

Agora aonde estarão essas agências e editoras?

Todas na ponta do facão, igaul a todos nós.

No entanto, é numa hora como essa aonde esses sistemas montados para dar "certo" serão questionados e modificados.

O atual sistema baseado nas reformulações maledetas dos anos 90 aonde as empresas seguiam a lógica de ter o menor custo possível para ter um lucro maior, diminuindo assim seus quadros de funcionários e pagando cada vez menos aos seus empregados, está com os dias contados.

E o pior de tudo é que a mentalidade baseada no enxugamento radical (enxugar uma empresa não é ruim, o ruim é usar esse pricípio de maneira extremamente injusta como aconteceu sempre) existe e é ensinada largamente aos estudantes das escolas superiores de administração porque os acadêmicos de plantão pregam pelas classes que a criatividade "acabou", ou seja, nada de novo será criado, tudo que poderia ser inventado, já foi inventado. Isso significa que tudo o que está sendo inventado é MENTIRA!

Essa mentalidade horrorosa, que ensina os futuros administradores a serem covardes, bundões, imbecis e medíocres ao máximo, forma administradores com mentalidade de perdedor, sem nenhuma tnedência a serem empreendedores, está queira Deus com os dias contados.

Graças a Deus muita gente vai passar fome, graças a Deus dessa vez a porcaria não vai dar para ninguém, assim a elite também vai perceber que o sengue que corre me suas veias é igual ao nosso, que a barriga ronca no estômago deles da mesma maneira que ronca no nosso estômago.

Agora, quem quiser se destacar, sobreviver, nessa época terá obrigatoriamente que fazer sua lição de casa, vai ter que oferecer algo com valor real, acima do valor comercial, acima de ser algo que vai criar uma moda ou não, acima do óbvio, acima do normal.

Quem estiver na média vai sofrer o que a média sofrer, quem tiver talento, idéias, princípios, valores, qualidade vai sair na frente.

No monento nossos clientes em potencial precisam de pessoas que os auxiliem a ter soluções.

Veja bem, portanto, o que você oferece.

É ilustração? Sinto muito milhares de outros também fazem isso...

É oportunidade? Solução para problemas? Bem vindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado, faça sua observação, crítica ou sugestão.

Visitor IP Address Country

Art of the Day