27.1.12

'39

No ano de trinta e nove
Se reuniram aqui os voluntários
Nos dias em que as terras eram poucas
Daqui o navio partiu em direção à manhã azul e ensolarada
A visão mais doce já vista

E a noite seguindo dia
E os contadores de estórias dizem
Que aquelas bravas almas lá dentro
Pôr muitos dias solitários
Navegaram pelos mares
Nunca olharam para trás, nunca temeram, nunca choraram

Você não ouviu meu chamado?
Embora você esteja muitos anos longe
Você não me ouviu te chamando
Escreva suas letras na areia
Para o dia que eu pegar sua mão
Na terra que nossos netos conheceram

No ano de trinta e nove
Veio um navio do azul
Os voluntários chegaram em casa naquele dia
E trouxeram boas notícias
De um mundo recém nascido
Embora seus corações estivessem tão pesados

Pois a terra está velha e cinza
Minha querida, nós vamos embora
Mas meu amor, isso não pode ser!
Oh tantos anos se passaram
Embora eu esteja mais velho que um ano
Os olhos de sua mãe, através dos seus, choram para mim!

Você não ouviu meu chamado?
Embora você esteja muitos anos longe
Você não me ouviu te chamando
Escreva suas letras na areia
Para o dia que eu pegar sua mão
Na terra que nossos netos conheceram

Você não ouviu meu chamado?
Embora você esteja muitos anos longe
Você não me ouviu te chamando
Todas suas letras na areia
Não podem me curar como sua mão
Pois minha vida a frente me dá pena...

Visitor IP Address Country

Art of the Day