26.6.03

Nesse fim de semana eu andei fuçando o estilo de vida do pessoal aqui que mora perto do Largo do Cambuci:
Uma porrada de neguinho nas portas das Padarias tomando cerveja geladinha, expondo suas panças para aliviar o calor num verdadeiro concurso "O Rapaz mais Pançudo do Bairro", Jogando baralho em mesinhas improvisadas de folhas de Eucatex sobre butijões de gás vazios nas ruas, ou então jogando dama ou dominó nas mesinhas dos bares. Todos os bares com suas churrasqueiras cheias de churrasquinho de gato e batata assando na brasa. Também percebi que aqui Karaokê é regra em qualquer buteco. É impressionante a quantidade de boteco no Cambuci, tem esquina que amontoa mais de seis bares, e todos eles lotados. É o paraíso da pingaiada! Sem contar nos inúmeros modelos de Gol, Passat velho e Brasília que ficam com TODAS as portas abertas tocando música SERTANOJA e FUNK o dia inteiro sem parar e sem perguntar para o resto da vizinhança se aqueles acordes são agradáveis.
Aí, lá pelas tantas, você sempre ouve uma mulher brigando com o marido bêbado que ficou o dia inteiro no bar cultuando a sua pança e tomando uns cascudos do marido porque o REI DO LAR quer ver o jogo do CURINTIA (e olha que eu sou Corinthiano!). É um verdadeiro festival de criança remelenta correndo na calçada sem que os pais sequer saibam aonde seu filhos estão, menininhas (todas lindas como a Rita Cadillac) expondos as bochechas das bundas com chortinhos indecentes pelas calçadas indo nas padarias comprar sorvete ou frango (aquele de televisão de cachorro) e os pançudos todos secando as bundas que passam, deve ser por isso que as bundas acabam ficando tão secas ou deformadas com o tempo, se levar em conta a carga vibratórias dos olhares famintos.... Enfim! Uma verdadeira visão do Inferno!
Diante de todo esse espetáculo, eu refleti:
Ô vidinha LAZARENTA!

12.6.03

Egito

Durante o último mês, eu tive que pesquisar sobre o Egito para as aulas que agora eu estou dando para os meus alunos na Casa do Caminho.
Eles escolheram como tema Arte e dentro desse tema eu resolvi estudar o Egito para explicar para os alunos as peculiaridades da arte egípcia, já que dentre as civilizações antigas ele foi totalmente diferenciada das demais.
O que me surpreeendeu foi a relação intrínceca entre a religião, ciência e arte na Civilização Egípcia.
A história do Egito é dividida em três partes: Primeiro Império, Médio Imperio e Novo Império. A maioria de nós tem conhecimento sobre o Médio e Novo império, que foram as épocas em que o Egito expandiu-se, conquistou outros povos e se tornou grande e dominante império da sua época até que foi dominado pelos Gregos e posteriormente pelos Romanos...
Mas o grande interessante da Civilização Egípcia é justamente o Primeiro Império, ele em nada se assemelha às antigas civilizações.
Em primeiro luga O Primeiro Império foi uma época que durou cerca de mil anos, isso mesmo um milênio, em que o Egito se transformou de um monte de aldeias de agricultores nas margens do rio Nilo na mais organizada e justa civilização da antiguidade.
A primeira característica dessa época é que o Egito nessa época não tinha exército fixo, eles somente organizavam um exército quando algum outro país ameaçava-os.Em conseqüência disso, praticamente não existiam escravos. Os poucos que existiam eram prisioneiros de guerra (lembre-se as guerras,e consequentemente os exércitos Egípcios existiam somente para defesa e nunca para ataque e também nunca com a intenção de domínio da sua supremacia) e que trabalhavam nas pedreiras do Sinai, algumas vezes esse mesmos escravos saiam das pedreiras e iam trabalhar como serviçais nas casas dos nobres Egípcios.
As grandes obras no Primeiro Império foram construídas pelos próprios Egípcios, sendo que eles recrutavam uma parcela da população para trabalhar para o Faraó por seis meses, depois desse período, outra leva de voluntários se encarregavam em trabalhar nas obras. E a população sentia uma enorme satisfação em servir ao Faraó, que para eles era Deus encarnado. Não havia revoltas nas classes inferiores e as classes superiores não abusavam do poder que tinham. A ciência era altamente desenvolvida, muitas técnicas egípicas dessa fase foram se perdendo ao longo das outras eras do próprio Império Egípcio até que hoje em dia nada foi conservado dos seus conhecimentos. Tinham um ensinamento de ordem moral extremamente rígidos, tinham uma noção muito grande de justiça, da conseqüência dos seus atos, eram extremamente organizados, fazendo com que se sentissem mais evoluídos do que os outros povos. Acreditavam na continuidade da vida após a morte e ansiavam pela sua chegada, As Pirâmides são as tumbas dos Faraós desse período, nos outros períodos a construção de pirâmides não foi mantida e sua técnica foi sendo perdida ao longo dos séculos. Existiram algumas pirâmides do Médio Império, mas atualmente elas estão em ruínas, sinal do empobrecimento das técnicas de construção depois do Primeiro Império. Sem contar que as pirâmindes foram construídas de cima para baixo, e isso é tudo o que nós sabemos à respeito de sua construção. Nessa época o Egito viveu um período de paz e prosperidade, de igualdade social (apesar das diferenças entre Nobres, Sacerdotes e colonos) que nunca nenhuma outra civilização antiga viveu.
A continuidade desse assunto e as conclusões do ponto de vista espiritual eu envio em outra mensagem.

Demorei!

Não me levem a mal, mas esses dias foram tão corridos que não deu para postar nada, mas hoje está um dia mais tranquilo e eu vou tirar o atraso nas mensagens...

Visitor IP Address Country

Art of the Day