10.3.06

Aos Ilustradores

Eu vou procurar agora argumentar a favor no que nós ilustradores somos e esperamos, de acordo com as dificuldades que nós temos de enfrentar no mercado atualmente. É só um ponto de vista, não o verdadeiro, mas o meu ponto de vista, só isso. Acredito que em alguma coisa eu possa ajudar às pessoas que procuram uma orientação. Se isso não for possível, peço desculpas, antecipadamente.

Principalmente no mercado editorial a coisa anda feia, esse meio tem trocentos mil pessoas se propondo a prestar serviços de ilustração, pessoas que não se conhecem, nsequer conhecem outro ilustrador, colga de trabalho de luta e concorrente direto. isso faz com que as Editoras tenham um trunfo e tanto nas mão, e não será uma editora quem irá promover o encontro e intercâmbio entre seus fornecedores, afinal de contas, se o ilustrador se unir muito poderá ficar forte e deixar de ser explorado.

Nós costumamos lutar para, dentre outras coisas, implantar uma tabela para padronizar os valores dos trabalhos prestados, por editoras agências, etc. Acontece que muita gente, inclusive ilustradores, tem muito receio de entrarem nessa, pois com a quantidade de gente se propondo a trabalhar como ilustrador, espalhados pelo país, sem nenhuma organização, união e consciência, diante da organização e poderio das editoras, nós estaremos nas mãos delas. Basta imaginar que as Editoras escolhem quem eles querem que trabalhe com eles e se você cobrar mais caro, haverá pelo menos uns vinte que toparão trabalhar por qualquer merreca. Isso significa que, provavelmente os valores continuarão caindo e os ilustradores vão continuar se acotovelando pra pegar trabalho.

Bem, ao menos por essa lógica, nós estamos literalmente nas mão dos clientes, pois eles mandam, quem manda é o mercado.

Ok, quem manda é o mercado,sem mesmo levar em consideração de que a palavra mercado significa a união entre consumidor, cliente e fornecedor, vamos pelo menos pensar da seguinte forma: algum ilustrador sabe o valor do seu trabalho pelo mercado pura e simplesmente? Não, porque num sistema em que Editores de Arte ditam, mandam e desmandam qualquer coisa que eles propõe o cidadão aceita, então o mercado a muuuuuito tempo deixo de ter valores reais. A culpa disso são dos próprios ilustradores que abrem as pernas pra qualquer valor, no dia que os ilustradores se derem ao respeito de não aceitarem qualquer furada a coisa começa a mudar. É fácil, cômodo e completamente interessante para os nosso fornecedores termos a impressão de que estamos nas mão deles e não há nada que possamos fazer. Em outras palavras, somos todos LOOSERS. Perdedores! Então vamos nos recolher as nossas insignificâncias e dar graças a Deus que algum Editor de arte caridoso resolver me dar uma esmolinha disfarçada de trabalho.

Eu prefiro pensar diferente. Pensar dessa maneira dói muito. Sinceramente.

 No dia em que bons profissionais resolverem trabalhar por um valor X, os caras vão ter que, no mínimo, sentar com os ilustradores e colocar as cartas na mesa, mostrando o quanto realmente podem pagar e porquê. Porque a Abril paga hoje em dia metade do que pagava anos atrás? Será que houve deflação e eu não tô sabendo? Será que o preço dos materiais utilizados em ilustração caíram pela metade, o aluguel também, o IPVA idem e a carga tributária no Brasil deixou de existir? Se os Editores não puderem contar com ilustradores que "façam a diferença" e ilustrem materiais que auxiliam a alavancar a venda de seus livros e revistas, eles não serão loucos de colocarem o seu ganha pão na mão de qualquer Zezinho que ilustra com Clipart e verem a venda de suas preciosas fontes de renda irem por água abaixo. Os caras são mal caráteres, mas não são loucos.

A gente também pode achar que um piso ou uma tabela só funcione em regime sindical, que precise de uma organização competente para que a coisa ande, que regulamente a profissão, a formação e os profissionais, além de fiscalizar os procedimentos éticos e profissionais. Muita gente acha que isso é perigoso, porque pode se transformar numa fonte de corrupção, como acontece em tantos meios, pode até virar uma espécie de "Máfia". É perigoso, por isso exige atenção e responsabilidade redobrada para que algo assim seja realizado. E digo mais: outros meios aonde ocorrem abusos e "máfia" isso somente acontece porque seus membros não são assim tão atuantes, fiscalizadores e competentes como deveriam ser. Agora, é muito fácil perceber que o modo mais seguro da coisa ocorrer em nosso benefício éregulamentando a nossa profissão, assim como acontece com os dentistas, engenheiros, etc. Eles têm uma "reserva de mercado". Mas São reconhecidos pelo poder público, são regulamentados e tem meios legais de se defenderem, basta ver como é a OAB. Aí todos seguiriam uma norma estabelecida e as editoras não teriam outra alternativa a não ser aceitar os preços e os modelos de contratos da categoria.


Isso é ilegal? Então os Advogados são ilegais, os médicos são ilegais, os dentistas também... Me parece que pensar dessa forma não corresponde exatamente com a realidade, embora nós admitamos que essas categorias citadas tem condições de crescerem, se organizarem e term um futuro próspero bem maior do que os ilustradores.

É engraçado que o óbvio ululante é tudo aquilo que nenhum profissional de ilustração bem sucedido ou bem relacionado atualmente quer, não é mesmo? E não quer porquê? Por que vai dar trabalho? Seria muito melhor que alguém que não somos nós lute pelos nosso direitos. Talvez o Papai Noel ou o Coelhinho da Páscoa façam isso com sincero ensejo de fazer o bem, porque o resto vai querer nos engambelar e ganhar às nossas custas. Ou seja, ou nós pegamos os nosso interesses, lutamos por eles e fazemos a nossa realidade acontecer, ou ninguém irá fazer isso por nós. Todo mundo quer sempre um salvador da Pátria, me parece que até os ilustradores. Mas isso é um defeito dos brasileiros, eu acho que é um defeito de fábrica dos brasileiros...

Não tem saída, precisamos parar de brincar de ilustradores organizados e sermos organizados. Eu me esqueci que tem muita gente com medo de um suposto sindicato, porque sindicatos são antros de corruptos, aonde tudo rola na mão grande e no fundo no fundo ninguém luta pelo interesse do outro. Acontece que se houver um Sindicato de Ilustradores, quem vai fazer parte do Sindicato serão ilustradores, eu, você, os membros da Sib e outros ilustradores mais.

Não vai fazer parte o Vicentinho, nem o Marcos Valério e nenhum barbudo briguento que vai andar nas portas das Editoras e Agências fazendo piquete, a não ser que esse barbudo seja algum de nós. Se o Sindicato tiver corrupção é por que nós, Ilustradores somos corruptos. Eu parto do principio de que todo mundo é honesto.  Então porque temer um Sindicato? O que precisa haver é trabalho de todos, cobrança por parte dos membros para que uma Instituição qualquer funcione, pressão de base para que os que decidem trabalhem pelo todo, coisa que brasileiro não faz e não gosta de fazer, mas repito, ou nós fazemos por nós, ou ninguém fará isso.

Eu sei que pela lei de oferta e procura, se analizarmos a grosso modo, temos no mercado, principalmente editorial, uma verdaderira enchurrada de ilustradores para pouco trabalho. Realmente por esse ponto de vista tem muuuuuuuuito ilustrador disponível no mercado hoje em dia. Bem mais do que as editoras precisam. Tem um poucos excelentes, muitos medianos e alguma porcaria (eu já acho que a porcaria é enorme!). Se nós pensarmos assim, iremos também acreditar que só pelo númeor de medianos, o mercado já está saturado. Aí essa história de tabela vai por água abaixo, já que existe uma pressão natural pra coisa não ir pra frente.

Mas, analizemos bem. Hoje em dia não se faz mais ilustradores como Benício, ou Shumann, ou o Pedro Mauro. Eles são ótimos realmente.
Outros que estão aí e são por muitos considerados ótimos, são na verdade medianos, tal é o grau de degeneração da qualidade e do valor que a ilustração tem no Brasil. Isso não é nenhuma desfeita a esse profissionais, mas eles não tem mercado suficiente para que possam evoluir e tem pouquíssimas oportunidades de uma formação mais sólida. Sem contar os inúmeros clientes que acham que qualquer porcaria serve como ilustração.

Agora, pensando por esse modo, como tem ilustrador? Então me diga, aonde um ilustrador se forma para ser ilustrador? A verdade que o nosso mercado está ao Deus dará! Qualquer pichador de muro pode ser considerado ilustrador, basta o cara ter cara de pau suficiente pra isso. Ou a coisa vai pros trilhos, ou é melhor todo mundo resolver mudar de profissão, porque não teremos futuro algum.

A coisa precisa ser regulamentada e regularizada, pra ser ilustrador, é preciso estudar, se formar, aí com formação pode se trabalhar como ilustrador. Um Zé Mané qualquer consegue expor seus trabalhos numa galeria, Um Zé mané qualquer consegue trabalhar como engenheiro num escritório de Engenharia? Um Zé Mané qualquer consegue trabalhar como Advogado num escritório de Advocacia? Então porque um Zé Mané qualquer pode trabalhar como ilustrador numa Editora?

O que nós vivemos, infelizmente, não é uma situação de mercado livre, é a casa da mãe Joana. Todo mundo quer convencer a gente de que Ilustrador não é uma profissão especializada, e tá todo mundo comprando essa idéia. Não especializado é ser balconista, oficce boy, carteiro, engraxate, manicure. Ilustrador precisa de uma tremenda formação e muita dedicação. Um ilustrador não se faz do dia pra noite, nem em um cursinho de seis meses. Por que a gente reluta tanto em reconhecer quem nós somos e trabalharmos para que possamos melhorar o nosso próprio mercado? O que tem disponível é moleque com jeito pra coisa que desenha bem e micreiro. Ilustrador é outro papo.

Muita gente também acha que não dá pra deixar um trabalho de lado porque o valor pago em editoras é baixo e existem inúmeras contas para pagar. Como se isso fosse um tipo de coisa que somente "mestres" e ilustradores excelentes podem fazer . Os "mestres" também pagam contas, se vestem, se alimentam, não são seres "alados", embora seus trabalhos nos façam acreditar que sejam seres de outro planeta. Sem contar que pode haver algum ilustrador melhor do que você mas que pense "menor" do que você, e que não acredite que vai conseguir se sustentar se somente topar trabalhos melhores remunerados. Aí vem o fantasma do cliente que pode chegar pra qualquer um de nós e falar:pra pagar o dobro então vou chamar o fulano, que é excelente, muito melhor do que você.

Bom, eu prefiro então que o fulano pegue e depois sofra pra se sustentar, e ao acontecer isso é uma pena, principalmente da parte dele que deixa de ser bem sucedido por medo. Agora se seu cliente te falar: "se você não quer, tem dez querendo", deixa o cliente pegar esse dez, depois você verá que dez porcarias são esses "profissionais topa tudo".

Me desculpa, mas me parece que esse negócio que somente um ilustrador excelente pode se dar ao luxo de recusar trabalho por causa de preço é uma mentalidade muito looser, pelo menos pra mim. Se você não é um ilustrador excelente, porque você não se esforça pra ser? Ninguém precisa ser um mestre, mas todos nós podemos e devemos trabalhar para sermos o melhor profissional que pudermos ser. Só assim um dia poderemos ser melhores, pelo menos melhores do que somos hoje.

Se eu tiver na minha cabeça a idéia de que eu sou mais ou menos, que eu nunca serei um bom profissional, que eu simplesmente não tenho capacidade pra isso, eu facilmente chegarei à conclusão de que eu estou na profissão errada. Eu não consigo acreditar que alguém entre numa luta acreditando que vai perder. Quem age assim já perdeu mesmo, porque perdeu pra si mesmo! Não adianta a gente querer vencer alguma coisa ou alguém se a gente não consegue vencer a si mesmo. Você pode até se achar um profissional mediano, mas você precisa acreditar que vai evoluir, pode se transformar num profissional de ponta, com um trabalho de encher os olhos e lutar pra que isso aconteça, agir dessa maneira não significa deixar de ser humilde, humildade é saber enxergar no outro um igual a você, não é recusar se a ser melhor.

Outra coisa, você pega uma capa de revista por 200,00 e fura o esquema que todo mundo quer cobrar 650,00 porque tem conta pra pagar, certo? Só que aí você jamais irá conseguir cobrar os 650,00 dos outros, porque você já provou pro mercado que o seu trabalho vale isso. Ou seja, pra atender uma necessidade imediata você acaba com a sua perspectiva de um futuro melhor, pra você e para os profissionais que estão junto de você.

Faltou ter visão de futuro, isso parece coisa de criança, sabe aquela criança que o pai compra uma bicicleta no meio do ano pra ter como pagar e fala pro filho que se ele for um bom menino vai ganhar uma bicicleta no natal? Aí o moleque descobre que o pai já comprou a bicicleta, fica torrando a paciência do pai porque quer a bicicleta, até que o pai dá a bicicleta logo de uma vez. Beleza, o moleque quis a bike e teve a dita cuja, aí o pai promete pra si mesmo que nunca mais na vida vai dar um presente caro pro moleque porque o menino não sabe esperar.

É por aí, sem contar que se você ganhar melhor, não vai precisar pegar tanto trabalho pra pagar suas contas. Dessa maneira vai sobrar mais trabalho pra mais ilustrador. Atualmente qualquer cara tem que fazer pelo menos vinte ilustras pra pagar as contas, se você puder pegar só cinco pra ganhar a mesma coisa, pelo menos terão mais quinze ilustrações que poderão servir pra ajudar outro profissional a pagar as contas dele. Mas se a coisa não for pra frente isso jamais acontecerá.

Sem contar outro detalhe, se um Editor de Arte realmente gosta do seu trabalho, ele quer o SEU trabalho, ele está atrás do SEU estilo, do SEU desenho e não do seu PREÇO! Quem quer que VOCÊ trabalhe, vai pagar o quanto for preciso para ter o SEU trabalho.

Se o Editor realmente quiser o SEU trabalho, não vai ter quinze neguinho pra fazer o mesmo trabalho. Isso não existe. Pelo amor de Deus, gente, acredite, você precisa acreditar em você, cara! Você precisa se amar e amar a sua arte! Essa neurose é tudo o que um cliente picareta sempre pediu à Deus!

O que eu escrevo não é pra esculachar ninguém, é pra tentar ver se dá pra compreender. É igual aquela história de criança, do menino que sempre apanha na escola. O menino apanha porque os outros são fortes. Mas o menino precisa aprender a se defender, só que o menino acredita que nunca vai conseguir bater no moleque mais forte. Só que o menino nunca tentou, até que um dia o menino de tanto sofrer nas mão dos fortões resolve dar um basta, perde o controle e acaba deixando o fortão no Hospital.

É por isso que a gente precisa se unir, a gente até pode ser fraco, pode ser indefeso, mas junto a gente se ajuda, se fortalece, se une, se organiza e consegue espantar o fortão que vem dar bordoada na gente. Eu entendo sua posição, cara. Mas não dá pra gente, como parte fraca da corda, se juntar pra ficar todo mundo encolhido no canto com medo do bicho papão. Se é pra gente se unir, que seja pra lutar pelo nosso espaço e pelo nosso respeito no mercado. Sem medo. Todos estamos no mesmo barco, e o barco não vai virar e nem afundar, só se a gente deixar.

Uma coisa que poderia acontecer seria a categoria "ilustrador" ser absorvida por outro, como pelos jornalistas. Tem gente que leva essa hipótese a sério.

Sinceramente, eu não sei se o Sindicato dos Jornalistas teria algum interesse em lutar pelos NOSSOS direitos. Me parece que nesse caso, serão duas lutas. A primeira, para que o Sindicato dos Jornalista se comova por nós e resolva nos defender (coisa que eu não acredito que aconteça, não com tanta facilidade). A segunda, depois de conquistar a simpatia do Sindicato dos Jornalistas, começar o trabalho para que a nossa situação junto das Editoras melhore. Se é pra ter tanto trabalho então que nós tomemos a dianteira dos nossos destinos. Quem já teve contato com outro meios sabe que ninguém tá muito interessado na nossa luta. O próprio Céu percebeu isso quando começou os contatos para uma Câmara Setorial.

Eu sinceramente quero que todos os ilustradores que estão nesse barco possam se aposentar fazendo ilustrações. Eu gostaria também que os novos conseguissem ser ilustradores e que se aposentassem como ilustradores. Eu gostaria que a nossa profissão tivesse futuro. Futuro que atualmente fica difícil de vislumbrar. Só que não dá pra ter medo. A gente precisa ter iniciativa.

Com certeza nós erraremos, mas se todos nós tivermos união e equilíbrio, nós saberemos aprender com os nossos erros e acabaremos conseguindo realizar o nosso intento, com seriedade, paciência e responsabilidade. Quem sabe um dia, quando olharmos pra trás, nós não percebamos que jamais poderíamos imaginar que fôssemos tão longe e conquistássemos tanto?

Impossível é somente aquilo que a nossa imaginação não consegue conceber, mas é por isso justamente que existem os desenhistas, não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado, faça sua observação, crítica ou sugestão.

Visitor IP Address Country

Art of the Day